terça-feira, 28 de agosto de 2012

Por que Cinquenta Tons de Cinza faz tanto sucesso?

Depois de uma temporada sem escrever (Com a faculdade em greve nem tenho desculpas para isso), volto com um assunto que está dando um comichão na ponta dos dedos para tratar.

Cinquenta Tons de Cinza, da autora E.L. James chegou causando "oohs". A história conta a trajetória da inocente Anastasia Steele que se apaixona pelo empresário ultrapoderoso Christian Grey e percebe que a relação com ele é muito mais intensa, assustadora e obscura do que pode imaginar. Cheio de traumas, Grey é adepto a algemas e chicotes, tornando a relação dos dois um contrato de submissão onde o contato visual pode gerar "castigos". O livro é comentadíssimo em programas de TV, séries, revistas e pela Internet em geral. Elogiado por uns, condenado por outros ( não sei se é pra valer, mas ouvi que a autora se baseara em Crepúsculo para escrevê-lo), o romance ganhou a mídia e pode até ser transformado em filme. A pergunta que fica é: vale esse auê?

Olha, honestamente, o livro não é um obra-prima genial como muitos apontam, tem um linguagem repetitiva, escrita tão simples quanto a do Crepúsculo( ou seja, quase colegial), uma protagonista com o mesmo senso de insegurança de Bella Swann e muitas, muitas passagens destinadas àquilo a que se propõe. Para falar a verdade, se não fosse a capa, o título e a mídia, ele estaria junto com os romances de banca. Mas agora vamos ao motivos que eu, na minha insignificante opinião, considero que tornam esse livro um sucesso:

A aparência do livro: como eu apontei, o título e a capa tornam esse romance muito promissor. Muitas decepções são advindas dessa propaganda toda. Se deixassem com aquela capa melodramática e título açucarado dos romances de banca, ninguém ia comentar nada.

A redenção do bad boy: apesar do que dizem por aí, eu NÃO acho que o principal motivo do sucesso sejam que as leitoras queiram inconscientemente uma relação assim, com chicotes, um dominador e tal. Claro, existe a parcela de leitores que realmente se interessam por isso, mas quer saber? No fundo, é a velha história do cara mau que se redime com a mocinha insegura e vive só para ela no final, o que motiva quase todos os romances de banca. Eu acho que as leitoras não querem a loucura do Sr. Grey, elas querem o próprio Sr. Grey! Ah, e claro com toda a sensualidade que ele oferece.

O romance sensual: na série de TV nova, Bunheads, perguntam a uma personagem por que ela gostou desse livro e ela responde: "Because it´s dirty". Ou seja, é isso mesmo, é o erotismo, a sensualidade, aquilo que desperta em muita gente o que elas jamais acharam que um livro faria. Obviamente não conhecem os romances de banca, como Sabrina e outros. Isso nos passa a outro tópico.

A mídia: se essas pessoas gostam tanto do erotismo da obra, por que não vão aos romances de banca, então? Mídia. Pura e simples. A mesma que enfeitou Dan Brown de gênio e Crepúsculo de romance imortal. Acho engraçado que os pseudointelectuais que resenharam tão bem esse livro são os mesmos que consideram os romances de Sabrina inferiores. Pois leram justamente um exemplo em capa de luxo!

Agora na boa, acho justo reclamar da propaganda enganosa e tal, mas se você não curte, é só não ler. Não vamos tornar essa obra algo primordial, porque está longe disso, mas ela serve para entreter e cumpre bem o seu objetivo. Quer algo mais bem escrito ou mais intelectual? Passe longe, sério mesmo.

O livro não merece esse ibope todo, a autora é muito fraca e clichê até, mas considero um pouquinho melhor que o reprimido romance de Crepúsculo. Espero que a autora (que tinha um bom material nas mãos e fez uma bagunça) consiga tornar esse relacionamento mais complexo e a protagonista menos idiota nos próximos livros. E sobre aqueles que se escandalizam com as cenas, bem , elas são quentes, o que se pode fazer? Ninguém te engana quanto a isso.

1 comentários:

Débora Lauton disse...

Mikaela, se você me visse agora... estou batendo palmas para sua resenha, ficou ótima!!!
Concordo plenamente com todos os pontos que você colocou...
Gostei tanto que gostaria de te fazer um convite... não quer se tornar uma colunista lá no Leitura Nossa de Cada Dia?? Qualquer coisa me manda um e-mail... d.lauton@bol.com.br

Beijos,